Newsletter subscribe

Destaque, Escolha do Editor

Tucano atacado por vândalos, receberá prótese feita em impressora 3D

Posted: 26 de fevereiro de 2015 às 16:59   /   by   /   comments (0)

Um tucano foi encontrado em Costa Rica, com sérios sinais de maus tratos. Grecia, nome dado ao animal devido a cidade na qual foi encontrado, perdeu a parte superior de seu bico quebrada, após ataque de vândalos. O fato chocou milhares de pessoas que se reuniram para ajudar ajudar o animal que, após o ataque não consegue se alimentar sozinho, dependendo do auxílio de voluntários.

O caso ganhou grande repercussão nas redes sociais, e quatro empresas da Costa Rica se prontificaram a desenvolver um novo bico superior para o animal, o qual será desenvolvido por meio de uma impressora 3D. “Nós não poderíamos usar qualquer tipo de adesivo com componentes químicos, uma vez que poderia comprometer a estrutura do bico”, diz Nelson Martinez, responsável pelo Design do novo bico para Grecia.

COSTA-RICA-ANIMAL-ABUSE-SOCIAL-NETWORKS

Além da ajuda das empresas, a mobilização nas redes sociais também conseguiu arrecadar U$5,000 (cinco mil dólares) para ajudar Grecia e outros animais que sofrem mutilação na Costa Rica. Isto porque o caso de Grecia não é um caso isolado. A Costa Rica tenta, através de mobilizações da sociedade, a criação de uma lei que criminalize os maus tratos à animais. Apesar de ser um país cuja economia depende de turistas, atraídos pelas belezas das florestas tropicais e dos animais selvagens, ainda não possui uma lei que criminalize a crueldade contra animais. Embora o coro dos ativistas peçam que a crueldade contra os animais seja penalizada com multa e prisão, os legisladores estão tentando alterar o projeto, permitindo torturas em “alguns casos”, como rinhas de galos e outras tradições herdadas da Espanha.

Outros países na América Latina também possuem ativistas e organizações que lutam para alterar as leis e estipular penas mais severas para quem comete crueldade a animais. Na Venezuela, por exemplo, as touradas continuam sendo uma tradição assim como as brigas de galo. Na Colômbia, as multas para quem comente crueldade contra animais variam de R$ 2,00 a R$ 20,00, mas raramente são aplicadas. O atual prefeito de Bogotá mandou reabrir as praças de touros, que haviam sido fechadas em 2012 pelo prefeito anterior, medida adotada na época como forma de conscientizar a população sobre os maus tratos contra os animais. Tal problema também ocorre em outros países da América Latina, tais como Uruguai e México, que apesar de possuírem leis que criminalizam os maus tratos, raramente são aplicadas.

COSTA-RICA-ANIMAL-ABUSE-SOCIAL-NETWORKS

 

Cynthia Dent, diretora-executiva da Humane Society International na América Latina, espera que as redes sociais continuem divulgando casos de maus tratos e que isso engrosse o coro por uma mudança real nas legislações, ajudando a população a abolir algumas tradições antigas, reduzindo os casos de animais mutilados e mortos todos os dias na América Latina.

Comentários

comentarios

About Guilherme Reis

Idealizador do Projeto Lighted Lamp. Consultor no Empreenda 360 e aficcionado por inovação e por projetos que querem mudar o mundo.