Newsletter subscribe

Escolha do Editor, Tecnologia

BRCK: Criando conexões de internet para a África

Posted: 5 de setembro de 2014 às 19:15   /   by   /   comments (0)

TED Conference - em CCImagine o quão desafiador deve ser abrir uma empresa em um país cuja infraestrutura de internet e energia elétrica é inconstante. Mesmo sendo considerados serviços essenciais, muitos países ainda não oferecem essas condições para seus habitantes. No continente africano, ao final de 2013, apenas 16% da população tinha acesso à banda larga, e cerca de 60% têm acesso à energia elétrica.

Tantos desafios assim não preocuparam Juliana Rotich (foto), do Quênia, e cofundadora do código aberto Ushahidi. O Ushahidi é um software de código aberto para coleta de informações, visualização e mapeamento colaborativo, e foi muito importante nas eleições de 2009 no Quênia, quando o projeto recolheu relatos de violência por e-mail e via SMS e mapeou-os no Google Maps. O projeto também foi usado no Haiti, para mapear vítimas do terremoto que abalou o país, e no Japão, durante o desastre nuclear de Fukushima.

Durante muito tempo, Juliana viveu em Nova Iorque. E tomou um choque quando chegou a Nairóbi, capital do Quênia, e se deparou com as dificuldades de conexões de internet e as constantes quedas de energia. Isso a fez pensar em como ela poderia ajudar as pessoas de seu país a terem uma boa estrutura para tocar seus negócios e projetos. Daí surgiu o BRKC, um gerador de backup para internet.

A proposta era redesenhar a conectividade a partir do que eles tinham ali. O dispositivo é capaz de conectar-se a várias redes, utilizando hubs para receber simcards de várias operadoras (assim como no Brasil, a internet 2G e 3G é bastante comum e é de onde vem o maior tráfego de rede). O BRCK tem também uma bateria de 8h de vida, ideal para suportar as quedas de energia. Assim, as pessoas poderiam se manter conectadas mesmo sem luz. O dispositivo tem um tamanho pequeno, semelhante a uma caixinha, e é wi-fi, para facilitar a mobilidade.

Como Juliana definiu, “se ele funciona na África, funciona em qualquer lugar”. A ideia dos criadores é levar o BRCK a todos os países que não tenham acesso a internet banda larga. Depois do protótipo pronto, foi criada uma campanha de crowdfunding para o desenvolvimento do projeto. Eles conseguiram o dinheiro necessário para o projeto, e o produto já está à venda por US$ 199.

Veja o TED Talk com a Juliana Rotich.

Comentários

comentarios

About Janaina Oliveira

Analista de Comunicação e Marketing, gosta de estudar sobre o mercado, as empresas e como elas podem inovar para fazer um mundo melhor.